Um dos maiores nomes do rádio chegou a São José dos Campos para tratar de uma tuberculose. Aqui conseguiu a cura da doença e ainda conheceu Irene Faria que se tornaria sua esposa e lhe deu o Birinha, um de seus filhos. ¨Ubirajara Brasil havia sido narrador esportivo na rádio Bandeirantes de SP, e aqui, ajudou a formar vários profissionais que estão brilhando até hoje¨, diz orgulhoso Ubirajara Berna de Chiara Filho, ilustre advogado há 36 anos na cidade.
Durante quase dez anos Dr. Ubirajara (Birinha) foi sócio de uma empresa de sonorização junto com seu pai que havia deixado o Jornal Valeparaibano a qual ajudou fundar. Após concluir o colégio técnico no Olavo Bilac, Bira foi trabalhar em escritório de contabilidade e dali passou por duas agências bancárias onde ficou por muito tempo até ser contratado para gerenciar um ¨açougue de frango¨ bem próximo ao mercado, conta sorrindo. ¨Trabalhei na Bendix, próxima a Dutra, na Embraer e Johnson e depois de passar por essas grandes empresas fui trabalhar na Prefeitura Municipal¨, conta.


Ubirajara é um profundo conhecedor da cidade. Ele conta que São José dos Campos era bem provinciana até a chegada do prefeito nomeado Sérgio Sobral de Oliveira que mudou por completo a cidade começando pelo fechamento dos sanatórios. ¨Com respaldo do Governo do Estado, Sobral mandou os tuberculosos para Campos do Jordão desativando os sanatórios e criando parques, como Santos Dumont¨. Ele faz questão de lembrar que o Vicentina Aranha foi desapropriado pelo prefeito Joaquim Bevilacqua. ¨Foi uma pena que o Bevilacqua não tenha conseguido segurar o cine-Planetário e o observatório astronômico que tínhamos na Vila Ema¨, conta Birinha.
Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – SJC e quatro vezes presidente do Rotary Club além de pertencer a Maçonaria, Ubirajara diz que ¨que essa sociedade precisa de gente que faça a diferença porque ai fora está cheio de misérias e explodem problemas a todos os instantes, então temos que ter a consciência em fazer alguma coisa.¨


Para ele, ser advogado é viver o Direito. Viver o Direito e para o Direito, sempre imbuído do espírito de Justiça, sem esquecer que a Justiça é feita pelos homens, seres falíveis. Ser advogado é trabalhar muito. Trabalho duro, a qualquer hora, mas muito honroso para quem o faz com dedicação e honestidade.
Quanto a ser rotariano Ubirajara Berna de Chiara Filho diz:´¨É a oportunidade para servir. Rotarianos empreendem projetos de prestação de serviços em nível comunitário e global nas áreas de saúde, educação, assistência humanitária, meio ambiente, combate à pobreza, entre outras, pelo simples prazer de ajudar o próximo.

Comentários Facebook

comments