Dirceu e Ieda Plenamente, idealizadores do MUSEU DA GENTE, pesquisadores de histórias de pessoas famosas e anônimas que ajudaram e ajudam no desenvolvimento de suas cidades e  famílias.

O MUSEU DA GENTE  é um projeto de valorização de pessoas criado pelo jornalista Dirceu Plenamente em 2009.

Com o propósito de valorizar pessoas com maior identificação com a cidade de São José dos Campos, foi realizado o primeiro evento homenageando 30 personalidades (famosas e anônimas), na ACI – Associação Comercial e Industrial de SJC com o título de ¨CARAS DA CIDADE” .

O mesmo aconteceu em 2011, quando esse evento homenageou, além de personalidades, empresas que muito contribuíram para o desenvolvimento da cidade.

Assim foi feito até 2014, quando, ao invés de uma placa homenageando pessoas, foi lançado o primeiro livro ¨Sou parte da história de São José dos Campos¨, contando um resumo de vida desse pessoas famosas e anônimas.

Até 2017 foram publicados 4 (quatro) livros com 40 homenageados em cada, e mais dois livros com outros 80 homenageados ¨in memoriam¨ (Estes últimos dois livros foram lançados na Igreja Matriz de SJC com a presença dos familiares, após missa celebrada pelo padre Cândido).

Com um acervo com quase 200 (duzentas) entrevistas que começaram a ser gravadas em 2005, sendo que algumas personalidades já falecidas, Dirceu Plenamente resolveu disponibilizar esse trabalho ao público em geral através da criação do MUSEU DA GENTE, projeto único no país e sem objetivos financeiros, religiosos ou políticos.

MUSEU DA GENTE pertence à Associação de Preservação do Museu da Gente, entidade sem fins lucrativos, fundada e dirigida pelo criador do projeto ¨Cara da Cidade¨ e ¨Sou Parte da História de São José dos Campos¨ , Dirceu Plenamente.

 

O QUE É UM MUSEU?

Preservar a história e a memória do ser humano sempre foi um grande desafio. Nesse contexto, os museus exercem um significado extremamente relevante. Muitos pensam que eles são apenas um caminho em direção ao passado, quando na verdade são muito mais que isso. Mesmo sendo online, como o nosso MUSEU DA GENTE, é um lugar de conexão entre passado, presente e futuro, pois olhar o passado é conhecer o que foi feito para aprimorar mecanismos que podem influenciar o presente, para que novos conhecimentos e técnicas sejam disponibilizadas para a sustentabilidade das futuras gerações.

O termo museu teve sua origem na Grécia antiga, nas palavras gregas ‘Mousa’ e ‘Mouseion’, templo das nove musas, ligadas a diferentes ramos das artes e das ciências, filhas de Zeus e Mnemosine, divindade da memória, sendo locais sagrados, reservados à contemplação e aos estudos científicos. Esses locais foram considerados como o primeiro museu, no qual era constituído de bibliotecas, jardim, observatórios, sala de leitura, entre outros ambientes.

Os museus, e seus personagens, são importantes instrumentos de preservação da memória cultural de um povo, e responsáveis por seu patrimônio material ou imaterial. No início, sua finalidade era apenas de salvaguardar e não de disseminar as informações culturais.

Por muito tempo, eram locais restritos e elitizados, mantidos por pessoas com algum poder aquisitivo. Somente as pessoas que recebiam convites para exposições tinham acessos àquelas obras. Anos mais tarde se tornam no que conhecemos atualmente, ou seja, aberto ao público em geral, sem distinções, local livre, de caráter educativo, cuja missão é recuperar, preservar e disseminar a memória coletiva por meio de seus objetos, e agora de pessoas através da moderna tecnologia.

Sabemos que cultura é um termo amplo e complexo, podendo ser definido a partir de diversos pontos de vista. Sob a análise antropológica, cultura é o conjunto de costumes, tradições, hábitos e manifestações de uma população, que constrói sua identidade e seu modo de vida e os transmite geração após geração.

O museu tem o papel de informar e educar por meio de exposições permanentes, atividades recreativas, multimídias, teatro, vídeo e laboratórios. É o espaço ideal para despertar a curiosidade, estimular a reflexão e o debate, promover a socialização e os princípios da cidadania, e colaborar para a sustentabilidade das transformações culturais.