Ele nasceu em Mogi das Cruzes há quase um século. Dia 19 de Dezembro de 1921. E com surpreendente lucidez e alegria em viver, Jarbas Ferreira lembra e conta que viveu no Alto Tietê até 1926 quando mudou-se para Jacareí e dali, São José dos Campos. Seu pai era funcionário da empresa de telefonia e aqui ficou para cuidar da manutenção da linha Guararema – Eugênio de Melo. E o menino, com 11 anos, viu, talvez, mais que qualquer outra pessoa, esta cidade crescer.
¨Me lembro que dava dó de ver São José dos Campos naquela época. Doentes morriam nas ruas e como trabalhava numa empresa de hidráulica e calhas do Remo Carnevalli, dávamos manutenção nos sanatórios e pensões da cidade. Era uma tristeza¨, conta Jarbas que explicou ainda que os vivos seguiam para Campos do Jordão e os pobres ficavam em nossa cidade.
¨Sonho era um só: Trabalhar. Não tínhamos dinheiro e a única opção era o trabalho, lembra ele¨.


Com 21 anos Jarbas recebeu uma convocação através do cartório, para se apresentar ao Exército Brasileiro. ¨Fui para Caçapava e lá soube que iria combater na Guerra. Ficamos um bom tempo em treinamento, exercícios e contatos com armamentos. De Caçapava fomos para o Rio de janeiro para aprender aperfeiçoar as instruções americanas pois aqui se praticava as instruções alemãs e francesas. Foram quase 3 anos de preparação¨, conta ele.
Os brasileiros foram combater na Itália. Desembarcaram em Napolis e foram para um vulcão extinto onde ficaram com as tropas americanas para mais treinamento e aperfeiçoamento.


¨Logo que lá chegamos começamos a ouvir tiros e ai dei conta que já estava na Guerra. Quanto mais iamos no aproximando da cidade de Vada, mais intensos eram os bombardeios. O barulho não parava e eu, como ponta de lança do 5º Exército Americano, é quem mais sentia o calor dos conflitos¨, explica Ferreira.
Os aliados eram para fazer uma ofensiva antes do inverno, mas não deu certo. Aguardamos a primavera e nessa estação houve o avanço e a tomada de Monte Castelo. ¨Ali tomamos a tropa alemã com quase 18 mi homens e ganhamos a guerra¨, conta orgulhoso Jarbas Ferreira, o único combatente vivo em nossa cidade

As Causas da Guerra
Década de 1930, na Europa, – governos totalitários com fortes objetivos racistas, militaristas e expansionistas. Alemanha – nazismo, liderado por Hitler e que pretendia expandir o território Alemão, desrespeitando o Tratado de Versalhes. Itália – fascismo, liderado por Benito Mussolini. Itália e Alemanha – grave crise econômica no início da década de 1930 – milhões de cidadãos sem emprego.

 

Na Ásia, o Japão também possuía fortes desejos de expandir seus domínios para territórios vizinhos e ilhas da região. Estes três países, com objetivos expansionistas, uniram-se e formaram o Eixo – acordo com fortes características militares e com planos de conquistas elaborados em comum acordo.

Comentários Facebook

comments