Gaúcho de Nova Bréscia, Assis Giocondo Cantu chegou em São José dos Campos em 1981, aos 15 anos de idade. Trabalhava na roça desde os 8 anos. Em SJC, a família veio trabalhar numa churrascaria. Já são 33 anos como churrasqueiro, honrando a tradição de Nova Bréscia em ser a capital nacional do churrasco.
Esse talento gastronômico no entanto não é o que mais chama atenção na figura simpática e bem humorada de Assis. Simplicidade e satisfação com a própria profissão fazem o churrasqueiro ser uma pessoa com quem se quer ter amizade. A vida na roça ensinou ser assim. Logo cedo, às 4h30 da manhã acordava para tirar o leite. Depois, cinco quilômetros de caminhada para chegar na escola. Vida dura.


Depois de 15 anos servindo na Churrascaria Chão Sulino, Assis mudou de casa. Levou todo seu conhecimento, e todos os amigos com ele. A churrasqueira do Bar do Coronel, outro estabelecimento tradicional da cidade, ganhou um bom profissional. E a clientela ganhou mais um sorriso junto ao do Benê Córdoba e outros companheiros que trabalham no bar.
Perguntado se é difícil trabalhar enquanto todo mundo se diverte, Assis responde ¨É difícil. Nos primeiros anos não tinha folga nem aos domingos. Trabalhava direto. Depois de um tempo, não. Comecei a ter um descanso maior¨, e perguntado sobre o que faz quando está de folga, responde: ¨Faço um churrasquinho…¨

A terra de Assis
Nova Bréscia é conhecida como a capital da mentira, realizando a cada dois anos o Festival da Mentira, onde ganha a pessoa que contar a maior mentira, mas que consiga deixar os espectadores em dúvida da veracidade da mesma ou não.
Nova Bréscia é conhecida também por oferecer ao mundo os melhores churrasqueiros do Brasil. A fama dos bresciences é muito grande rendendo até uma homenagem ao churrasqueiro no centro da cidade.
No monumento existe uma placa, onde se lê:
A ti churrasqueiro que representas tão bem a comunidade bresciense em todos os recantos do país, nosso reconhecimento e gratidão
Inúmeras são as casas espalhadas por este nosso Brasil e também pelo mundo. Na década de 60, o município tinha em torno de 11 mil habitantes. Hoje são pouco mais de 3 mil, devido ao êxodo de muitos moradores, mas devido sobretudo à emancipação de diversos distritos, que se constituíram em municípios autônomos.


Atualmente estima-se que, mais de 10 mil brescienses estão espalhados pelo Brasil e pelo mundo em diversas atividades. Destacam-se principalmente no ramo de churrascarias e restaurantes, que seguiram o exemplo de Assis Cantu que largou a enxada, a luta contra terrenos montanhosos, as picadas imprevisíveis nos meses de inverno e a força indomável da prodigiosa natureza, dando assim inicio a um maciço êxodo rural, que podemos chamar como a saga dos churrasqueiros

Comentários Facebook

comments