Meus pais eram Salvador Ruiz Castilho e Águeda Vilanova. Meus avós, Salvador Gimenez e Helena Del Castillo. São de origem espanhola. Vieram todos da Espanha, meus avós e meus pais. Vieram de navio, no começo do século, fugindo da guerra, como a maior parte do povo. Eles vieram direto pra São João da Boa Vista. Desembarcaram em Santos. Em São João da Boa Vista, eles trabalhavam na lavoura. Moravam na roça. Meus pais, em 32 – eu nasci em 32, mas com três meses meu pai me trouxe pra Guararema – compraram uma propriedade em Guararema, meus avós e meus pais. Nós ficamos em Guararema até 43, 44, mais ou menos. Aí depois viemos pra São José dos Campos. Eles trabalhavam na roça, e as terras daqui, pra lavoura, são péssimas. Então, eles foram se cansando, cansando. Acabaram vendendo e se mudaram pra cidade. Na cidade, meu pai tinha banca no mercado. Vendia cereais, verduras. Banquinha pequena. Mercadão. Mercadão Central. Meu pai tinha umas três ou quatro bancas nesse Mercadão.

São José dos Campos Em Santana morava bastante gente, mas não tinha comércio como aqui em cima. Era um pessoal de poder aquisitivo bom, até bom. Mas é que não tinha, não tinha comércio lá. Hoje tem bastante comércio lá, antigamente não tinha, antigamente era mais aqui em cima. Isso nos anos 45, 46. Nessa época, em São José era maior parte era sanatório, mesmo. Depois foram erradicando. O que era a tuberculose? Era falta de alimento. Depois mandaram pra Campos do Jordão, lá mesmo erradicaram a tuberculose. A tuberculose, pra mim, eu acho que é falta de se alimentar bem. O seu Salomão Diamante fornecia esses móveis pra esse…, pra todo mundo. Mas pro Esdras era mais porque era em quantidade. Nas pensões era a mesma coisa: quando morria uma pessoa, aquele colchão, não queria mais. O colchão era um colchãozinho de capim, bem simples. Não é como hoje, os colchões bacanas.

Antigamente era uma fabriquinha de colchão que tinha ali na rua Sebastião Húngaro. Seu Benedito Pinoti que fazia os colchões, colchões de capim. Ele pegava de carroça, trazia pra loja, da loja distribuía. Lá vendia guarda-roupa, os guarda-roupa de canela, geralmente só de solteiro, só de solteiro. Geralmente era uma pessoa em cada quarto, os doentes. Tinha um guarda-roupinha de solteiro, tudo, até uma madeirinha bonita, de canela. A gente levava.

 

Da esquerda para a direita: Toninho (filho de Ruiz, segurando a bicicleta), Antonio Ruiz, José Perez, Salvador, Zeca e Humberto: personagem: Toninho (filho de Ruiz, segurando a bicicleta), Antonio Ruiz, José Perez, Salvador, Zeca e Humberto
– 1951

Comentários Facebook

comments