Antonio Carlos da Cunha Vasconcelos é filho de Antonio Domingues de Vasconcelos e de Brandina da Cunha Vasconcelos. Neto do saudoso Coronel José Domingues de Vasconcelos, que por duas vezes foi prefeito de São José.
Lembra que pelas ruas, ainda de terra, tinha oportunidade de ver o gado passar em direção ao Matadouro para ser abatido. O Matadouro ficava no final da Rua Siqueira Campos, onde hoje se localiza a Escola Professora Suely. ¨São José dos Campos de antigamente traz muitas lembranças.
Bons tempos em que se jogava um futebol no campinho existente bem em frente ao antigo Sanatório Vicentina Aranha que tratava dos doentes da tuberculose¨, conta Vasconcelos.
Seus estudos preliminares tiveram inicio na casa da Dona Geny, localizada na Vila Maria. Ela era esposa do Borracha, ex-jogador de futebol do Esporte Clube São José .
E o menino, filho único foi crescendo com certas dificuldades por força da doença de sua mãe, que faleceu aos 33 anos. Seu pai assumiu a responsabilidade paternal e maternal. Na década de 50 começou a trabalhar no Armazém do senhor Aristides que ficava na Rua Humaitá.


Colaborou com o jornal Valeparaibano do primo Edward Simões. O jornal funcionava em frente a Faculdade de Direito-UNIVAP do centro. Cuidava dos arquivos, da emissão das etiquetas que eram coladas nos jornais para serem entregues aos assinantes; parte da revisão, das cobranças e ainda na venda de assinaturas e publicidades. Colaborou também nas Revistas Atualidades, A Cidade e no Álbum de São José dos Campos, em 1951, quando a cidade possuía 5.200 prédios, 4.500 veículos licenciados, 6.000 alunos nas suas escolas e 54.000 habitantes.
Vem acompanhando o crescimento da cidade desde a implantação do CTA, da Via Dutra, da vinda da GM, de outras indústrias, independentemente daquelas que já estavam radicadas como Cerâmica Weiss, Bonádio, Tecelagem Parahyba. No setor comercial, pode ser notado um grande avanço na administração do Prefeito Sergio Sobral, que conseguiu trazer grandes magazines, Lojas Americanas, supermercados como o Peg-Pag, etc.


Dedicando-se ao ramo imobiliário há quase meio século, conseguiu trazer vários investidores para São José, em loteamentos, construções de prédios, e no ramo da hotelaria.
Fez parte da diretoria do Tênis Clube, da Comissão de Ética e do Conselho do Creci, Delegacia Regional de São José, do Conselho do Sindicato dos Corretores de Imóveis Estado de São Paulo, do Conselho da Asseivap-Associação das Empresas Imobiliárias do Vale do Paraíba e Litoral Norte. No Clube de Joseenses e Amigos participou do trabalho para solicitar junto á Fundação Cultural Cassiano Ricardo a restauração da Capela Nossa Senhora Aparecida onde funciona o Museu de Arte Sacra.


Na Asseivap elaborou trabalho para Revitalização do centro da cidade. É o idealizador da Praça do Corretor de Imóveis, bem como da Semana do Corretor de Imóveis. Já recebeu várias homenagens, entre elas destacam-se: Corretor de Imóveis do Ano, e ainda a Terceira Turma de Profissionalizantes na área imobiliária leva o seu nome. No ano passado foi agraciado como Caras da Cidade 2013, premiação que homenageia personalidades com maior identificação com São José dos Campos.

Comentários Facebook

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.